sns-container

Cuidados Continuados

 

A Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI), é um modelo organizacional criado pelos Ministérios do Trabalho e da Solidariedade Social e da Saúde, formada por um conjunto de instituições públicas e privadas que prestam cuidados continuados de saúde e de apoio social.


Objetivos:

A RNCCI tem como objetivo a prestação de cuidados de saúde e de apoio social de forma continuada e integrada a pessoas que, independentemente da idade, se encontrem em situação de dependência.

Os Cuidados Continuados Integrados estão centrados na recuperação global da pessoa, promovendo a sua autonomia e melhorando a sua funcionalidade, no âmbito da situação de dependência em que se encontra.


Valores:

  • Prestação individualizada e humanizada de cuidados.
  • Continuidade dos cuidados entre os diferentes serviços, sectores e níveis de diferenciação, mediante a articulação e coordenação em rede.
  • Equidade no acesso e mobilidade entre os diferentes tipos de unidades e equipas da Rede.
  • Proximidade da prestação dos cuidados, através da potenciação de serviços comunitários de proximidade.
  • Multidisciplinaridade e interdisciplinaridade na prestação de cuidados.
  • Avaliação integral das necessidades da pessoa em situação de dependência e definição periódica de objetivos de funcionalidade e autonomia.
  • Promoção, recuperação contínua ou manutenção da funcionalidade e da autonomia.
  • Participação das pessoas em situação de dependência, e dos seus familiares ou representante legal, na elaboração do plano individual de intervenção e no encaminhamento para as unidades e equipas da rede.
  • Participação e co-responsabilização da família e dos cuidadores principais na prestação dos cuidados.
  • Eficiência e qualidade na prestação dos cuidados.
  • Os cuidados paliativos devem estar integrados na prática normal dos cuidados. Integração mais precoce previne “distress” a longo prazo. Não só atender os sintomas e necessidades físicas mas também os problemas psicológicos e espirituais dos doentes.
  • Otimização do conforto, função e suporte social aos doentes e familiares quando a cura não é possível.

 

Referenciação:

Os utentes podem ser propostos para as respostas da RNCCI de duas formas:

  1. Se estiverem internados em hospital do Serviço Nacional de Saúde, através do serviço onde se encontram internados.
    • Os profissionais de saúde do serviço do Hospital onde se encontra internado referenciam os utentes para potencial ingresso na RNCCI.
    • A proposta de referenciação é enviada à Equipa de Gestão de Altas (EGA) do Hospital, a qual deve avaliar e confirmar toda a informação até ao momento da alta.
    • Após confirmação da informação, a EGA envia a proposta para a Equipa Coordenadora Local (ECL)
  1. Se estiverem na comunidade (domicílio, hospital privado ou noutras instituições ou estabelecimentos)
    • A referenciação é efetuada pelos profissionais de saúde das unidades de saúde familiar (USF) e das Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) dos Agrupamentos de Centros de Saúde.
    • A proposta de referenciação é enviada à ECL.
    • Se estiver (ou conhecer alguém que esteja) em situação de dependência que precise de cuidados continuados de saúde e/ou apoio social, deve contactar qualquer profissional das unidades de cuidados na comunidade (UCC) para que seja feita a sinalização às USF e UCSP dos doentes com potencial de referenciação para a RNCCI.

 

Os utentes podem ser propostos para as unidades e equipas de Cuidados Continuados Integrados de Saúde Mental (CCISM) da seguinte forma:

  1. Se estiverem internados em hospital do Serviço Nacional de Saúdeatravés do Serviço Local de Saúde Mental, hospital ou centro hospitalar psiquiátrico onde se encontre.
    • Os profissionais de saúde do serviço/hospital onde se encontra internado referenciam os utentes para potencial ingresso na RNCCI.
  1. Se estiverem na comunidade (domicilio, hospital privado ou outro local de residência)
    • São referenciados pelos profissionais de saúde das Unidades Funcionais (USF ou UCSP) dos Agrupamentos de Centros de Saúde.
    • A proposta de referenciação é apresentada pelos profissionais dos serviços hospitalares ou unidades funcionais acima referidos à ECL.
  1. Os utentes que se encontrem em instituição psiquiátrica do setor social
    • São referenciados pelo próprio serviço.
  1. Crianças e adolescentes (5 aos 17 anos)
    • As crianças e adolescentes (5 aos 17 anos) que se encontrem em serviços ou unidades de saúde mental da infância e da adolescência são referenciados por este serviço ou unidade.
    • A proposta de referenciação é apresentada pelos profissionais das instituições psiquiátricas do setor social e dos serviços ou unidades de saúde mental da infância e da adolescência à Equipa Coordenadora Regional (ECR).

 

Para saber mais, consulte o site da Administração Central do Sistema de Saúde – Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados.

Data de Atualização: 28-04-2021
Voltar