sns-container
SNS-Print

Secretária de Estado da Promoção da Saúde participou em reunião de alto nível, em Estocolmo.

“Pandemia silenciosa”. Foi desta forma que muitos especialistas fizeram referência ao aumento das resistências aos antimicrobianos que se regista em muitos países, durante uma reunião de alto nível sobre esta temática, que decorreu esta semana em Estocolmo, na Suécia, e que contou com a participação da Secretária de Estado da Promoção da Saúde.

“A resistência aos antimicrobianos é um dos maiores desafios dos nossos dias, e que vamos continuar a enfrentar nos próximos anos. Só poderemos responder de forma eficaz a este deságio se o fizermos a uma escala europeia, ou mesmo global”, afirmou a Secretária de Estado da Promoção da Saúde, Margarida Tavares, salientando a importância de uma aliança europeia em várias frentes, desde a promoção de um uso adequado destes medicamentos, ao acesso em tempo útil a tratamentos, passando por um maior incentivo à investigação de novos antibióticos.

Durante o encontro, que decorreu no âmbito da Presidência Sueca do Conselho da União Europeia, a Secretária de Estado da Promoção da Saúde teve a oportunidade de conhecer a realidade dos vários países presentes, bem como os planos que implementaram ou que estão a implementar para garantir que conseguimos responder melhor às infeções bacterianas, seja em contexto hospitalar seja na comunidade.

Margarida Tavares partilhou um ponto de situação sobre Portugal, explicando que o Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistências aos Antimicrobianos foi atualizado em 2022, contando já com dez anos de existência e com alguns resultados, mas que precisam ainda de ser consolidados, defendendo por isso uma ação global conjunta, já que as infeções não conhecem fronteiras e que o uso dos antibióticos compromete a saúde global como um todo.

A governante adiantou que Portugal partilha das mesmas preocupações europeias em matéria de resistências aos antimicrobianos e explicou que o plano nacional está alinhado em muitos dos pontos apresentados em Estocolmo, já que “tem como missão a prevenção e controlo de infeções associadas a cuidados de saúde, a redução da emergência e transmissão de resistência a antimicrobianos e o controlo do consumo destes medicamentos, através de intervenções de melhoria de qualidade, educativas e comportamentais”.

A reunião de alto nível contou com a presença de vários países e com individualidades como a diretora do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, Andrea Ammon, o Diretor Regional para a Europa na Organização Mundial da Saúde, Hans Kluge, o Ministro da Saúde da Suécia, Jakob Forssmed, e com os príncipes Vitória e Daniel.

À margem do encontro, Margarida Tavares manteve uma reunião bilateral com a sua homóloga, Petra Noreback, onde foram debatidos alguns temas de interesse comum e reforçado o compromisso de colaboração entre Portugal e a Suécia em termos de saúde.

Voltar

Últimas Notícias

As lideranças têm um papel fundamental na motivação e no apoio aos trabalhadores, disse Margarida Tavares.
23/02/2024
"Não há melhor propósito da ciência do que salvar vidas e melhorar a qualidade de vida das pessoas", disse Manuel Pizarro.
23/02/2024
Diplomas publicados esta semana procedem a alterações. Saiba o que muda.
22/01/2024