sns-container
SNS-Print

Reforço na modalidade «casa aberta» para pessoas com mais de 80 anos.

O reforço da vacina contra a Covid-19 vai funcionar em modalidade «casa aberta» para quem tem 80 ou mais anos a partir de segunda-feira, dia 8 de novembro.

De acordo com a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, a partir dessa data também será possível aos que têm 70 ou mais anos fazerem autoagendamento da dose de reforço contra a Covid-19.

«Começámos pelos mais vulneráveis, nos lares e na rede de cuidados continuados, que estão praticamente todos, tanto os residentes como os profissionais dessas instituições. Agora estamos em plena fase de vacinação de pessoas com 80 ou mais anos», explicou a responsável.

Graça Freitas disse que estes utentes têm sido convocados via SMS e têm podido igualmente agendar a sua dose de reforço, e revelou que, a partir de segunda-feira, podem usar também a modalidade «casa aberta», tal como aconteceu com a vacinação.

«Existem duas formas: uma delas é entrar no portal da Direção Geral da Saúde e tirar uma senha de marcação digital (…), escolhendo um dia e hora mais conveniente e a outra hipótese é recorrer a um centro de vacinação, de preferência da parte da tarde, para ser vacinados, o que recomendamos fortemente, tanto na dose de reforço, como no caso da vacinação contra a gripe», referiu.

«Estamos em plena campanha vacinação para nos protegermos em relação ao Inverno que se aproxima e a prioridade é vacinar com a dose de reforço contra a Covid-19 os que tem mais de 65 anos, vacinando também contra a gripe, neste caso também as grávidas e outras pessoas com algumas doenças», acrescentou.

Graça Freitas adiantou que também a partir de segunda-feira o autoagendamento da dose de reforço fica disponível para os que têm 70 anos ou mais e que só pode ser administrada pelo menos 180 dias depois da dose anterior da vacina.

Sobre a escolha do centro de vacinação, a Diretora-Geral diz que, quem não puder levar a dose de reforço no mesmo centro onde lhe foi administrada a vacina contra a Covid-19, não deixará de ser vacinado.

Questionada sobre a dose de reforço nos restantes profissionais de saúde, Graça Freitas disse que isso «já está a ser feito», explicando que quando a comissão técnica de vacinação recomendou a dose de reforço apontou as pessoas com 65 ou mais anos e os profissionais de saúde e profissionais do setor social que lidam diretamente com os doentes.

«A prioridade vai para lares e para os com mais de 80, mas já abrimos para os restantes profissionais de saúde. Nos lares e na rede de cuidados continuados foram vacinados utentes e profissionais e já estão a ser levantadas as necessidade e enviadas vacinas para os centros de saúde e hospitais de todo o sistema de saúde, não só no SNS», explicou.

Voltar

Últimas Notícias

Hospital de Évora inicia uma nova especialidade para a região.
18/01/2022
Hospital Distrital de Santarém registou aumento de atividade em 2021.
18/01/2022
Mais de 4 milhões de pessoas receberam reforço contra a Covid-19
18/01/2022