sns-container
SNS-Print

Comer melhor e proteger o planeta são as sugestões da DGS.

Neste início de 2019 sabemos que a produção alimentar é um dos principais responsáveis pelo aquecimento do planeta e pela emissão de gases com efeitos de estufa. E também que uma alimentação errada é a principal responsável pelos anos de vida saudáveis perdidos pelos portugueses. Felizmente, com um pequeníssimo esforço, é possível mudar muita coisa se multiplicarmos estas ações individuais por muitos milhões de pessoas.

Assim, a Direção-Geral da Saúde (DGS), através do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS),  apresenta cinco pequenas decisões que podem fazer uma enorme diferença:

Uma vez por semana substitua a refeição de carne por um prato vegetariano ou ovo-lacto vegetariano. Uma refeição de carne a menos por semana, ao longo de uma ano, equivale a poupar, em emissões de carbono, cerca de 500 km de automóvel.

  1. Coma menos mas melhor. Compre menos mas melhor. Em média, os portugueses consomem cerca de 1910 kcal/dia (1635 kcal/dia nas mulheres e 2228 kcal/dia nos homens) mais do que necessitam. E desta energia, cerca de 10 % vem do consumo de bolachas, bolos e doces. Comida que pouco contribui com vitaminas, minerais e outros nutrientes importantes para a nossa saúde.
  2. Uma vez por semana experimente cozinhar sem sal. E aprenda a cozinhar saboroso sem a substância responsável por retirar muitos anos de vida saudável a milhares de portugueses. Mais de 4 milhões de portugueses sofrem de hipertensão arterial onde o sal tem um papel importante. Para compras com menos sal utilize o «descodificador de rótulos».
  3. Substitua o habitual refrigerante ou bebida açucarada diária por água. O consumo excessivo de refrigerantes tem vindo a ser associado ao aparecimento de diabetes tipo II e cárie dentária. Por outro lado, apenas um refrigerante ou outra bebida açucarada pode conter por lata de 330 ml aproximadamente 35 g de açúcar o que equivale ao consumo anual de mais de 12 kg de açúcar e alguns kg de gordura corporal a mais no final do ano! Lembre-se que a água da rede pública em Portugal é de boa qualidade. Conheça a iniciativa #aguapublica.
  4. Consuma sopa pelo menos uma vez por dia e, sempre que possível, substitua, em parte ou totalmente, a batata por leguminosas (feijão, grão, ervilha, fava, lentilha…). A presença de hortícolas e leguminosas ajudam a regular o colesterol, são fonte de vitaminas e minerais, reduzem o risco de doença cardiovascular e certos tipos de cancro, reduzem o risco de diabetes tipo II e podem ainda ter papel importante na regulação do transito intestinal e controlo do apetite. Uma dose diária destes alimentos protetores é decisiva para uma alimentação equilibrada e uma vida saudável.
  5. Vamos deitar menos comida fora, comprando e cozinhando apenas o necessário e reaproveitando. Um terço (⅓) da comida produzida no nosso planeta nunca chega a ser consumida! Ou seja, «a comida que não é comida» é uma das principais fontes de poluição num mundo onde 795 milhões de pessoas passam fome. E em Portugal, dois milhões de portugueses e suas famílias estão abaixo do limiar de pobreza. Vamos deitar menos comida fora este ano. Comece já nesta altura de festividades, com receitas saudáveis, económicas e amigas do ambiente com zero desperdício.
  6. Compre produtos portugueses e da época. E de preferência com menos embalagem e menos plástico. Comprar local significar poluir menos nas estradas, na produção e na embalagem. E produzir riqueza em Portugal ajudando os agricultores e as nossas comunidades locais e a sua cultura.

Votos de um bom ano e de boas comidas!

Para saber mais, consulte:

Blog do Programa Nacional de Promoção da Alimentação Saudável > Sugestões para um Natal mais saudável

Voltar

Últimas Notícias

IPO Lisboa precisa de mais dadores de sangue.
12/06/2019
Ministra marca presença na sessão de abertura, dia 18 de junho.
17/06/2019
Dados divulgados apontam para «evidente recuperação».
17/06/2019