sns-container
SNS-Print

Há previsão de aumento de temperaturas. Saiba como se prevenir.

Uma massa de ar quente vai chegar a Portugal no fim de semana e fazer subir as temperaturas, que se podem aproximar dos 40 graus no interior do Alentejo, e trazer noites tropicais.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), no sábado, 16 de junho, o dia ainda terá temperaturas amenas, mas no domingo, 17 de junho, os termómetros vão começar a subir, sobretudo por causa de uma massa de ar quente, que vai entrar no território e fazer subir as temperaturas entre três a seis graus.

Nas regiões do interior, a partir do final do dia de sábado, 16 de junho, vai chegar uma massa de ar quente, com temperaturas a atingirem os 30 a 34 graus em alguns locais, à exceção da Serra da Estrela, que terá valores mais baixos.

As subidas de temperatura no domingo «serão na ordem dos três a cinco ou seis graus no litoral oeste, em particular na região da Grande Lisboa» e, na segunda-feira, «a corrente de leste vai ser reforçada e as temperaturas máximas tendem a subir mais».

Vamos chegar a segunda-feira e na generalidade do território as temperaturas máximas vão variar entre os 30 e os 35 graus, com exceção da zona da Serra da Estrela, onde serão ligeiramente mais baixas. No interior do Alentejo vão variar entre os 35 e os 39 graus, assim como no Vale do Tejo e Santarém. Serão estas as regiões mais quentes, reforça o IPMA.

Na Grande Lisboa, a temperatura vai subir também de forma significativa na segunda-feira, dia 18 de junho, podendo atingir valores próximos dos 35 graus.

Prevenção dos efeitos negativos do calor intenso

Neste sentido, relembramos as  principais recomendações de prevenção dos efeitos negativos do calor intenso, da Direção-Geral da Saúde, à população, em especial aos grupos mais vulneráveis (crianças, pessoas idosas e pessoas com doença crónica).

  • Procurar ambientes frescos e arejados ou climatizados;
  • Aumentar a ingestão de água ou de sumos de fruta natural sem açúcar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Evitar a exposição direta ao sol, principalmente entre as 11 e as 17 horas. Utilizar protetor solar com fator igual ou superior a 30 e renovar a sua aplicação de 2 em 2 horas e após os banhos na praia ou piscina;
  • Utilizar roupa solta, opaca e que cubra a maior parte do corpo, chapéu de abas largas e óculos de sol com proteção ultravioleta;
  • Evitar atividades que exijam grandes esforços físicos, nomeadamente, desportivas e de lazer no exterior;
  • Escolher as horas de menor calor para viajar de carro. Não permanecer dentro de viaturas estacionadas e expostas ao sol;
  • Dar atenção especial a grupos mais vulneráveis ao calor, tais como, crianças, idosos, doentes crónicos, grávidas, pessoas com mobilidade reduzida, trabalhadores com atividade no exterior, praticantes de atividade física e pessoas isoladas;
  • Seguir as recomendações do médico assistente ou do Centro de Atendimento do SNS: 808 24 24 24, no caso de doentes crónicos ou sujeitos a terapêuticas e/ou dietas especificas;
  • Assegurar que as crianças consomem frequentemente água ou sumos de fruta natural e que permanecem em ambiente fresco e arejado. As crianças com menos de 6 meses não devem estar sujeitas a exposição solar, direta ou indireta;
  • Contactar e acompanhar os idosos e outras pessoas que vivam isoladas. Assegurar a sua correta hidratação e permanência em ambiente fresco e arejado;
  • Ter cuidados especiais, no caso das grávidas: moderar a atividade física, evitar a exposição direta ou indireta ao sol e garantir ingestão frequente de líquidos.

 

Mantenha-se informado, saiba quando e como se proteger. Se persistirem dúvidas, ligue para o Centro de Contacto SNS 24 (808 24 24 24).

Para saber mais, consulte:

Voltar

Últimas Notícias

Médico dentista nos CS de todos os municípios até 2020.
20/09/2018
Infarmed assegura acesso ao medicamento Sinemet.
21/09/2018
Equipa de cirurgia cardíaca de Coimbra na Jordânia.
21/09/2018