INEM encaminhou 683 doentes para a Via Verde Coronária.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) divulga o registo, em 2017, de 683 casos de enfarte agudo do miocárdio (EAM) encaminhados através da Via Verde Coronária, mais 26 casos que no ano anterior. Os distritos com maior incidência nestes encaminhamentos foram Lisboa e Porto, com 166 casos, cada um.

Os dados foram divulgados no dia 14 de fevereiro, data em que se assinala o Dia Nacional do Doente Coronário.

Os dados estatísticos revelam ainda que em 73,65% dos casos decorreu menos de duas horas entre a identificação dos sinais e sintomas e o encaminhamento da vítima para esta Via Verde, enquanto que em 20,94% o processo foi efetuado entre as duas e as doze horas de evolução da sintomatologia e 4,10% dizem respeito a situações com mais de doze horas de evolução.

Os dados referentes a 2017 indicam ainda que o sexo masculino é a principal vítima do EAM, apresentando o significativo número de 500.

Entre os hospitais que receberam o maior número de casos encaminhados pelo INEM através da Via Verde Coronária, constam:

  • Hospital de São João, no Porto – 90
  • Centro Hospitalar Lisboa Central – Hospital de Santa Marta – 75
  • Hospital de Braga – 72
  • Hospital de Faro – 49
  • Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho – 46

 

Enfarte agudo do miocárdio – sinais e sintomas de alerta

Dor no peito de início súbito, com ou sem irradiação ao membro superior esquerdo, costas ou mandíbula, suores frios intensos, acompanhados de náuseas e vómitos, são alguns dos sinais que podem indicar um enfarte agudo do miocárdio. O reconhecimento precoce dos sinais e sintomas do enfarte agudo do miocárdio é fundamental e deve motivar o contacto com o Número Europeu de Emergência – 112. Esta é a via preferencial, dado que reduz o intervalo de tempo até ao início da avaliação, diagnóstico, terapêutica e agilização do transporte para a unidade hospitalar mais adequada.

Existem alguns conselhos importantes para proceder perante a suspeita de um EAM: manter uma atitude calma, sentar o doente, evitar que este faça qualquer tipo de esforço físico, tal como, levantar-se, caminhar ou até falar. Estes procedimentos simples podem estabilizar a evolução do EAM.

O INEM encaminha as vítimas de EAM para os hospitais adequados através desta Via Verde, permitindo um tratamento mais rápido e eficaz nas unidades de cuidados intensivos coronários ou salas de hemodinâmica. O encaminhamento dos doentes para esta Via Verde é feito com base em critérios clínicos específicos, visando o rápido tratamento de determinados tipos de EAM em que há necessidade da realização de angioplastia primária.

De acordo com o INEM, o EAM é uma das principais causas de morte em Portugal, ocorrendo quando se dá uma interrupção súbita da perfusão sanguínea coronária, prolongada e total ou quase total, que só é confirmada após a realização de um eletrocardiograma de 12 derivações (ECG).

Realização de exames médicos de rotina, hábitos de vida saudáveis, a prática de desporto de forma regular, evitar o tabaco e a vida sedentária são algumas das formas de prevenção eficazes e acessíveis a todos os cidadãos.

Visite:

INEM – http://www.inem.pt/

Voltar

Últimas Notícias

Atividade gripal mantém-se com baixa intensidade.
23/02/2018
Infarmed revela que cidadãos têm mais acesso a medicamentos.
23/02/2018
DGS recorda: Vacinação continua a ser a melhor forma de prevenção.
23/02/2018