sns-container
SNS-Print

Reclusos vão passar a ter acesso a consultas médicas por videoconferência.

Os reclusos vão passar a ter acesso a consultas médicas por videoconferência, para uma maior «racionalidade e humanização» dos serviços prestados aos cidadãos a cumprir penas de prisão, anunciou a Secretária de Estado da Justiça, Anabela Pedrosa, no dia 18 de maio, no Estabelecimento Prisional de Sintra.

Segundo Anabela Pedrosa, na sequência dos protocolos assinados pelo Ministério da Justiça na área da saúde, para a realização de análises clínicas nas cadeias, está previsto, em breve, o alargamento «no contexto de videoconferência», para «que se possam ter consultas à distância».

O Diretor-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, Celso Manata, considerou que, com a possibilidade de adoção da telemedicina, além de evitar as deslocações às unidades de saúde, os dados dos pacientes ficam no sistema do Serviço Nacional de Saúde e são mais um contributo para a «dignificação das pessoas que estão privadas da liberdade».

A Secretária de Estado da Justiça salientou que as medidas de modernização administrativa se inserem na «racionalidade e humanização daquilo que são os serviços que o Ministério da Justiça dá a todos os cidadãos, incluindo os cidadãos reclusos».

No mesmo âmbito, a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais e o Instituto dos Registos e do Notariado assinaram um protocolo com o objetivo de assegurar a emissão do Cartão de Cidadão a reclusos nos estabelecimentos prisionais, evitando a deslocação aos serviços públicos.

A Secretária de Estado da Justiça sublinhou ainda que estão em curso outras medidas, para assegurar a empregabilidade dos reclusos após cumprirem a sua pena.

Através da colaboração entre o Estado, enquanto facilitador, as empresas que prestam formação e absorvem mão-de-obra e as ONG (organizações não governamentais) que fazem o acompanhamento, Anabela Pedroso acredita que seja possível assegurar «o triângulo perfeito para aquilo que deve ser o trabalho da reinserção social».

A Secretária de Estado apontou a necessidade de os serviços da administração pública estarem próximos dos cidadãos reclusos, para promover a sua reinserção na sociedade.

Fonte: Agência Lusa

Voltar

Últimas Notícias

Alimentos com mais açúcar e sal banidos da publicidade para crianças.
21/08/2019
CCM-SNS iniciou a conferência relativa aos tratamentos termais.
21/08/2019
A inauguração da USF Extramuros terá lugar amanhã, 22 de agosto.
21/08/2019