DGS emite orientações em contexto de surto e para viajantes.

Em complemento da orientação n.º 004/2017, revista a 31 de março, e do comunicado do mesmo dia sobre o surto de hepatite A, a Direção-Geral da Saúde (DGS) esclarece que:

  1. O surto de hepatite A, em Portugal, apresenta claras relações epidemiológicas com um dos clusters identificados na Europa, nomeadamente em Espanha;
  2. As amostras dos doentes tipados no Instituto Ricardo Jorge pertencem, maioritariamente, à estirpe VRD_521_2016 do genotipo IA;
  3. Atendendo à necessidade de gerir o stock de vacinas e de imunoglobulina disponíveis no País a fim de permitir controlar a atividade epidémica atual, recomenda-se:
    – Imunização em contexto de Consulta do Viajante: a administração de imunoglobulina humana normal em lugar da vacina, aplicável a crianças e adultos, a realizar em Centros de Vacinação Internacional em todo o território, na dose única intramuscular de 0,02 mL/Kg em deslocações para áreas endémicas até três meses, ou de 0,06 mL/Kg no caso de permanência mais prolongada;
    – Imunização em contexto de surto: vacina contra a hepatite A ou de imunoglobulina (ver Orientação n.º 004/2017, revista a 31 de março) passa a ser administrada gratuitamente aos portadores de receita médica, em serviços especiais, desde já a funcionar na Unidade de Saúde Familiar da Baixa, ao Martim Moniz, replicando-se em outras zonas do País, em caso de necessidade.

Para saber mais, consulte:

DGS > Orientação n.º 005/2017 sobre a hepatite A

DGS > Orientação n.º 004/2017 sobre a hepatite A

 

Voltar

Últimas Notícias

Laboratório nacional da OMS para os vírus da poliomielite.
24/11/2017
Assinatura de protocolo viabiliza suspensão da greve dos TSDT.
24/11/2017
Aprovado investimento de 5,6 M€ para o serviço de neurologia.
24/11/2017