IPST organiza homenagem pública ao dador benévolo de sangue.

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação, IP (IPST) comemora o Dia Nacional do Dador de Sangue, assinalado a 27 de março, com uma homenagem pública ao dador benévolo de sangue.

A homenagem conta com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, na sessão solene de homenagem, que decorre nas instalações do INFARMED – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, no Auditório Tomé Pires, das 10h30 às 12h30.

De acordo com o Presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, João Paulo Almeida e Sousa, “o aproveitamento máximo e sem desperdício do sangue doado pelos portugueses é a melhor forma de homenagear o dador”.

Programa

10h30
Abertura do Secretariado

11h00
Abertura da Cerimónia Oficial
Presidente do Conselho Diretivo do IPST
João Paulo Almeida e Sousa

11h15
Intervenção da Federação das Associações de Dadores de Sangue de Portugal
Joaquim Mendes Silva

11h30
Intervenção da Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue
Alberto Manuel Gonçalves Mota

11h45
Intervenção Temática
Vogal do Conselho Diretivo do IPST/Presidente da Comissão Externa de Acompanhamento do Plasma
Gracinda de Sousa

12h00
Apresentação Vídeo de Animação – Promoção da Dádiva de Sangue
André Godinho

12h15
Encerramento
Secretário de Estado Adjunto e da Saúde
Fernando Araújo

12h30
Almoço convívio

 

Quem pode doar sangue

Podem doar sangue todas as pessoas com bom estado de saúde, com hábitos de vida saudáveis, peso igual ou superior a 50 kg e idade compreendida entre os 18 e os 65 anos. Para uma primeira dádiva, o limite de idade é 60 anos.

A dádiva de sangue é benévola e não remunerada. A doação de sangue pode ser feita de quatro em quatro meses pelas mulheres e de três em três meses pelos homens.

A saber

Os tipos de sangue que existem são A, O, que são os mais comuns, AB e B, que são mais raros.

As pessoas com sangue do tipo O podem doar sangue para qualquer pessoa, mas só podem receber doações de pessoas com o mesmo tipo de sangue. Por outro lado, as pessoas do tipo AB podem receber sangue de qualquer pessoa, mas só podem doar para pessoas com o mesmo tipo sanguíneo.

Já pessoas com sangue do tipo A podem doar apenas para outras do tipo A ou tipo AB, assim como as do tipo B só podem doar para B e AB.

Para além dos tipos de sangue, existe o fator RH, que determina se o tipo de sangue é positivo ou negativo e influencia na compatibilidade sanguínea. Assim, pessoas com sangue positivo podem receber de pessoas com qualquer RH, mas só podem doar para outras com sangue positivo. Enquanto que, se o sangue tiver RH negativo, podem doar para pessoas com sangue positivo ou negativo, mas só podem receber negativo.

Dê sangue! Partilhe o melhor de si!

Para saber mais, consulte:

Voltar

Últimas Notícias

Relatório revela redução das infeções e consumo de antibióticos.
15/12/2017
Primeira ambulância entregue com novo modelo de financiamento.
15/12/2017
INFARMED já instaurou 30 processos de contraordenação em 2017.
15/12/2017