ARS Lisboa e Vale do Tejo e Infarmed reforçam colaboração.

Os médicos de família da Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo vão ser mais envolvidos na vigilância da segurança e na notificação de reações adversas a medicamentos. Para esse efeito, a ARSLVT e o Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde anunciaram, no dia 16 de fevereiro de 2017, o reforço da colaboração no âmbito da farmacovigilância.

Na mesma data, 16 de fevereiro, foi inaugurada a Unidade de Farmacovigilância do Infarmed, a oitava a integrar o Sistema Nacional de Farmacovigilância, cujo número de unidades duplicou no último ano. Esta unidade ficará a cargo da Direção de Gestão do Risco de Medicamentos do Infarmed e vai cobrir uma população de cerca de um milhão de habitantes.

De acordo com o Infarmed, o envolvimento dos médicos de família será fundamental para reduzir a subnotificação, garantindo a recolha de mais informação sobre os medicamentos utilizados, a deteção de reações adversas menos frequentes e uma vigilância mais apertada numa altura em que os medicamentos são utilizados em fases cada vez mais precoces.

O reforço da notificação de reações adversas irá permitir o desenvolvimento de estudos em colaboração com a Agência Europeia do Medicamento, bem como um registo mais robusto da experiência de utilização de medicamentos, acrescenta o instituto.

Recorda-se que, para além dos profissionais de saúde, o Infarmed tem incentivado os utentes a reportar reações adversas. Com esse objetivo, participou numa campanha de informação de âmbito europeu no final do ano passado.

Para saber mais, consulte:

Infarmed – Comunicado

Voltar

Últimas Notícias

Laboratório nacional da OMS para os vírus da poliomielite.
24/11/2017
Assinatura de protocolo viabiliza suspensão da greve dos TSDT.
24/11/2017
Aprovado investimento de 5,6 M€ para o serviço de neurologia.
24/11/2017