sns-container
SNS-Print

Oficializada pela ONU em 2012, data é assinalada a 21 de março. CHA assinala o dia com palestra, às 17 horas, no auditório.

A 21 de março de 2016 assinala-se o 11.º aniversário do Dia Mundial da Síndrome de Down, um dia de conscientização global que foi oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2012.

O Centro Hospitalar do Algarve (CHA) assinala a data, dia 21 de março, com a palestra “Reabilitação Pediátrica na Trissomia 21 – uma Abordagem no Conceito do Neurodesenvolvimento”, a qual inclui testemunhos de pais e vai ser conduzida pelas médica Kátia Ferreira e pelas terapeutas São Silva e Carla Joaquim, do Centro de Neuropediatria e Desenvolvimento daquele centro hospitalar.

Promovida pelo Centro de Neuropediatria e Desenvolvimento, a iniciativa, que tem por objetivo a sensibilização e o esclarecimento, decorre, pelas 17 horas, no auditório do Hospital de Faro, integrado no Centro Hospitalar do Algarve, e é dirigido a famílias, educadores, profissionais de saúde e outros técnicos.

A data de 21 de março foi a eleita pela Associação Internacional da Síndrome de Down (Down Syndrome International) pelo facto de se escrever como 21/3 (ou 3-21), fazendo alusão à Trissomia 21. A primeira comemoração desta data ocorreu em 2006.

A 19 de dezembro de 2011 a ONU aprovou uma resolução que designa o dia 21 de março como Dia Mundial da Síndrome de Down. A data passou a ser comemorada, oficialmente, a partir de 2012. A ONU propõe que os Estados-membros comemorem com a adoção de medidas para promover maior conhecimento sobre a Síndrome de Down.

De acordo com a APATRIS 21 – Associação de Portadores de Trissomia 21 do Algarve, a Trissomia 21, também conhecida por mongolismo e Síndrome de Down, é uma doença genética que resulta da presença de um cromossoma supranumerário no par 21 (três cromossomas em vez de dois).

Os portadores de Trissomia 21 partilham certas características físicas (embora não presentes em 100% dos casos), tais como:

  • Face redonda de perfil achatado;
  • Braquicefalia;
  • Fendas palpebrais oblíquas;
  • Nariz pequeno e achatado;
  • Boca aberta e protusão da língua;
  • Prega palmar única;
  • Baixa estatura;
  • Défice cognitivo;
  • Malformações internas.

A APATRIS 21 foi criada por um grupo de pais e profissionais de educação, com o objetivo de dar resposta à ausência de informação e apoio às famílias com indivíduos portadores de Trissomia 21 na região do Algarve.

Os objetivos da associação baseiam-se na integração global dos portadores de Trissomia 21, perspetivando a sua educação e formação profissional, tendo como finalidade última a sua realização pessoal e integração na sociedade.

Para saber mais, consulte:

 

Voltar

Últimas Notícias

Um em cada três ensaios clínicos foram realizados no 2CA-Braga.
26/01/2022
Hospital de Ovar disponibiliza eletronicamente resultados dos MCDT.
26/01/2022
Hospital São Gonçalo de Lagos passa a integrar centro hospitalar.
26/01/2022