Recomendações para viajantes

Estas recomendações podem ser alteradas em função da atualização de novos conhecimentos pelo que se recomenda aos viajantes que consultem a informação sobre Zika no site da DGS.

Antes da viagem

  • Procurar aconselhamento em Consulta do Viajante, pelo menos 4 semanas antes da viagem.
  • As grávidas não devem viajar para áreas afetadas. Caso tal não seja possível, devem procurar aconselhamento em Consulta do Viajante ou junto do médico que acompanha a gravidez. Se o parceiro viajar para uma área afetada deve usar preservativo ou abstinência sexual até ao final da gravidez.
  • As mulheres que planeiam engravidar devem mencionar essa intenção na Consulta do Viajante e seguir rigorosamente as medidas que lhes forem propostas. Devem também ser informadas que deverão adiar a gravidez durante 8 semanas após o regresso. Se o parceiro também viajar, a gravidez deverá ser adiada durante 6 meses.
  • As pessoas com doenças crónicas graves ou imunocomprometidas devem obter aconselhamento médico antes da viagem para uma área afetada.

 

Na área afetada

  • Seguir as recomendações das autoridades locais.
  • Adotar as medidas de proteção individual para prevenir a picada de mosquitos.
    • Aplicar repelentes observando as instruções do fabricante:
      • Crianças e mulheres grávidas podem utilizar repelentes de insetos apenas mediante aconselhamento de profissional de saúde;
      • Não são recomendados para crianças com idade inferior a 3 meses;
      • Se tiver de utilizar protetor solar e repelente, deverá aplicar primeiro o protetor solar e depois o repelente.
    • Ter especial atenção aos períodos do dia em que os mosquitos do género Aedes picam mais frequentemente (durante todo o dia, do nascer ao por do sol);
    • Proteger as crianças (carrinhos de bebé, berços) com redes mosquiteiras.
    • Optar preferencialmente por alojamento com ar condicionado; em alternativa, utilizar redes mosquiteiras, mesmo durante o dia.
    • Utilizar vestuário preferencialmente largo, de cores claras e adequado para diminuir a exposição corporal à picada (camisas de manga comprida, calças e calçado fechado).
  • Adotar medidas para reduzir o risco de doenças sexualmente transmissíveis: usar preservativo ou abstinência sexual durante a estadia e durante 6 meses após o regresso (no caso do homem), e durante 8 semanas (no caso da mulher).
  • As grávidas devem adotar relações sexuais protegidas com preservativo ou abstinência sexual até ao final da gravidez.
  • Consultar os serviços de saúde locais se desenvolver sintomas (febre, erupção cutânea ou outros).

 

Após o regresso

  • Os viajantes que apresentem sintomas sugestivos de infeção por Zika, até 2 semanas após a data de regresso, devem contactar a Saúde 24 (808 24 24 24) ou consultar o médico, referindo a viagem recente.
  • As grávidas, mesmo sem sintomas, devem mencionar a viagem recente durante as consultas de vigilância pré-natal.
  • As grávidas devem adotar relações sexuais protegidas com preservativo ou abstinência sexual até ao final da gravidez.
  • Os viajantes devem adotar relações sexuais protegidas com preservativo ou abstinência sexual:
    • Se homem (com ou sem sintomas), durante 6 meses
    • Se mulher (com ou sem sintomas), durante 8 semanas
  • As pessoas que estiveram em áreas afetadas e viajarem para áreas onde o vetor esteja presente (ainda que não seja considerada área afetada como por exemplo, a RA Madeira, cujo vetor não está ativo) devem adotar medidas de proteção individual para a picada de mosquitos durante 3 semanas após o regresso. Esta medida destina-se a prevenir a transmissão da infeção para o vetor.

 

Para mais informações consulte www.dgs.pt

Voltar

Últimas Notícias

O Programa do XXI Governo Constitucional estabelece como prioridade promover a saúde através de uma nova ambição para a Saúde...
09/10/2017
A MySNS Carteira – A Carteira eletrónica da Saúde já ultrapassou os 20.000 downloads. Centrada nos interesses do utente do...
13/11/2017
O Portal SNS ultrapassou os 10 milhões de visualizações de páginas. A área dedicada ao Cidadão alcança o maior número...
27/10/2017