A gripe apesar de ser, habitualmente, uma doença de evolução benigna, pela elevada taxa de ataque, é causa significativa de morbilidade, mortalidade e consumo de recursos de saúde.

A vacinação é o método mais eficaz de prevenção da doença e das suas complicações, sobretudo da pneumonia e da descompensação de co-morbilidades.

Os médicos, farmacêuticos e enfermeiros são, naturalmente, principais fontes de aconselhamento e de motivação para a vacinação dos grupos de risco. Têm, também, maior probabilidade de adquirirem gripe e de a transmitir aos seus familiares e aos doentes a seu cuidado. Por este motivo, estão incluídos nos grupos alvo prioritários e com acesso gratuito à vacina.

Na época de 2015/2016 a vacinação dos profissionais de saúde foi da ordem dos 45% nos centros de saúde e de 24% nos hospitais.

Saiba mais informações no comunicado conjunto da DGS e ordens profissionais.

Voltar