A Organização Mundial da Saúde para a região europeia (OMS Europa) renovou a acreditação do Laboratório Nacional de Doenças Evitáveis pela Vacinação do Instituto Ricardo Jorge como o laboratório nacional da OMS para os vírus da Poliomielite.

A OMS dispõe de uma rede europeia de laboratórios para a Poliomielite, no âmbito dos planos de ação europeus para a irradicação desta doença. Também em Portugal existe um Programa Nacional de Erradicação da Poliomielite – Plano de Ação Pós-Eliminação, que visa assegurar a vigilância e deteção da infeção, situação em que o Laboratório do Instituto Ricardo Jorge assume um papel de relevo.

Este reconhecimento certifica que o laboratório em questão utiliza as metodologias preconizadas pela OMS, dispõe de todo o equipamento específico e de pessoal qualificado para realizar o diagnóstico laboratorial para os vírus da Poliomielite nomeadamente o isolamento viral, tipificação e diferenciação intratípica.

A avaliação recentemente efetuada pela OMS Europa considerou que o Laboratório Nacional de Doenças Evitáveis pela Vacinação cumpre todos os requisitos objeto de avaliação, tendo a renovação da acreditação sido comunicada às autoridades de saúde nacionais. A avaliação das condições dos laboratórios é efetuada anualmente pela OMS Europa, visando atestar as condições de funcionamento destas infraestruturas, bem como a uniformização dos algoritmos de diagnóstico do vírus.

O laboratório responsável por este diagnóstico dispõe desta acreditação desde o ano 2000. O Laboratório Nacional de Doenças Evitáveis pela Vacinação tem como missão a vigilância das Paralisias Flácidas Agudas e de Enterovirus no âmbito do Plano de Ação Pós-Eliminação do Programa Nacional de Erradicação da Poliomielite, bem como a confirmação laboratorial de todos os casos possíveis de Poliomielite, Sarampo, Rubéola e Síndrome da Rubéola Congénita e de surtos de Parotidite Epidémica.

É igualmente da sua competência efetuar o diagnóstico laboratorial pré-natal da infeção pelos vírus da Rubéola e Varicela-Zoster bem como a confirmação laboratorial dos casos de infeção congénita por estes vírus. Ainda no âmbito das doenças evitáveis pela vacinação mas do foro bacteriano, também é efetuado o diagnóstico laboratorial para Bordetella pertussis (nas instalações do Instituto Ricardo Jorge no Porto).

A poliomielite é uma doença passível de erradicação e tem vindo a ser progressivamente eliminada em vastas regiões do mundo. A erradicação é confirmada gradualmente através da certificação da eliminação desta doença, em cada país, região e a nível global, por comissões independentes, e baseia-se nos seguintes critérios: Pelo menos três anos seguidos sem casos de poliomielite por vírus selvagem; Excelente desempenho da vigilância, nomeadamente da paralisia flácida aguda; Demonstração de capacidade, em cada país, de detetar, notificar e responder a casos importados.

Voltar