O sistema de Gestão Partilhada de Recursos do Serviço Nacional de Saúde (GPR SNS) tem a finalidade de simplificar e aumentar a interoperabilidade entre instituições públicas integradas no SNS e, por conseguinte, maximizar a utilização de recursos e incrementar a articulação dos cuidados de saúde.

A GPR SNS permite uma melhor e mais célere capacidade de resposta na prestação de cuidados aos utentes, seguindo os princípios orientadores de qualidade, poupança e transparência do SNS.

Privilegiando a dinâmica das instituições públicas da saúde, este sistema possibilita a comunicação, de forma centralizada, da procura (necessidades) e da oferta (disponibilidades), no âmbito de Cirurgias, Consultas e MCDTs – Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica. Por outro lado, permite efetuar uma gestão mais ativa e eficiente dos Equipamentos disponíveis nas várias entidades do SNS.

O sistema GPR SNS contempla, assim, quatro serviços: Consultas, Cirurgias, MCDTs e Equipamentos:

Consultas

O critério que orienta este serviço rege-se por reduzir as consultas agendadas, com um determinado período de tempo, e os pedidos de consulta a aguardar agendamento. Abrange todas as especialidades, mas apenas no universo de primeiras consultas.

Tem como estrutura base a aplicação CTH – Consulta a Tempo e Horas, sendo os dados integrados automaticamente na GPR SNS. As entidades de destino podem, assim, consultar e reservar consultas de entidades de origem, bem como disponibilizar consultas para serem reservadas pelas entidades de destino.

Cirurgias

Permite reunir condições para responder, atempada e eficazmente, às necessidades cirúrgicas nacionais. A adesão dos hospitais do SNS é voluntária e nunca poderá prejudicar o nível de resposta aos utentes inscritos na instituição designada como hospital de origem.

O fluxo de utentes entre os hospitais do SNS é efetuado através do SIGIC – Sistema Integrado de Gestão de Inscritos para Cirurgia e operacionalizado pela GPR SNS. O sistema indica a capacidade que a instituição de destino tem para realizar cirurgias dentro da especialidade requerida. O utente é contactado pelo hospital (do SNS), e se não aceitar a oferta mantém-se na lista de espera, no caso de aceitar será operado na instituição indicada. Caso não seja possível realizar a cirurgia numa instituição do SNS, o utente receberá um voucher cirurgia.

MCDTs

A escolha dos MCDTs está condicionada à lista da portaria pelo código ou descrição, não existindo atualmente uma fonte de informação automática, e irá permitir às entidades colocarem procura e oferta de forma simples, rápida e intuitiva.

As listas de procura e oferta devem permitir a ordenação, filtragem ou combinação de filtros, de acordo com os campos:
• Tipologia de MCDT (Gastro; Imagiologia; etc…)
• Tipo de exame (Endoscopia Alta; RX torax; etc…)
• Região
• Entidade

As transações ficam registadas, em histórico, sempre acessível às entidades envolvidas e à ACSS – Administração Central do Sistema de Saúde, sendo alvo de formalização contratual entre as partes, tudo através da GPR SNS.

Equipamentos

A atualização dos dados na plataforma GPR SNS é realizada diariamente, ficando acessível em catálogo os equipamentos disponíveis nas instituições do SNS e, desta forma, outras instituições poderão efetivar uma reserva. A instituição do SNS, com um equipamento “disponível”, tem 5 dias úteis para confirmar que acede e disponibiliza o equipamento requisitado.

Para saber mais informações, consulte aqui.

Voltar